terça-feira, 8 de abril de 2008

O Fogo

Desse cordel

Me desenterrou.

Cantando, da boca

Se foi o fel

O flagelo que eu mesma

De mim

No pulo, no grito , na ginga

Desatei o nó

que a garganta emudeceu

A saudade, veio,com seu batalhão

O lirismo veio em forma de santo da terra

Eu furei o bucho do céu

Com a pontiaguda tristeza do olho

E foi que choveu, choveu

E me aliviou

Bate, o pé

E transfigura

O que cantou

O lira

Lírico

2 comentários:

Magoo disse...

adorei...

Bárbara Lia disse...

Sou apaixonada pelo Lirinha!